Quem sou eu

Belém/Ribeirão Preto, Brazil
Amazônida jornalista, belemense papa-xibé. Mãe, filha, amiga... Que escreve sobre tudo e todos há décadas. Com lid ou sem lid e que insiste em aprender mais e mais... infinitamente... Até a morte

Aos que me visitam

Sintam-se em casa. Sentem no sofá, no chão ou nessa cadeira aí. Ouçam a música que quiser, comam o que tiver e bebam o que puderem.
Entrem...
Isso aqui está se transformando em um pedaço de mim que divido com cada um de vocês.
Antes de sair me dê um abraço, um afago e me permita um beijo.

Arquivo do blog

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Mais mensagens e o Gabbay

Não serei hipócrita: estou adorando receber tanto carinho, afagos, votos de sucesso, de um futuro melhor. Colei mais duas mensagens que estão aí abaixo (da Elis e da Marita). Apenas as que foram enviadas à lista de comunicação e que, obviamente, são públicas é que tomei a liberdade de disponibilizar àqueles que não participam desse fórum, mas que me acompanham de longe e que me fazem tão bem. Como é o caso do Marcelo Gabbay.
Uma relação estranha essa nossa... Quando era presencial, na Embrapa de Belém, sempre foi educada, afetuosa, mas distante. Mas desde que ele resolveu chutar o pau da barraca, largar o emprego e a estabilidade e correr atrás de seu sonho, passei a gostar mais dele. Admiro muito as pessoas autênticas, ousadas, corajosas, que não temem ir à busca da felicidade, mesmo que paguem um alto preço. Hoje sinto-o mais perto do que quando dividíamos o mesmo prédio em Belém. Vejam aí do lado o que ele me mandou de presente. Divino !!

Oi Ruth!
Pra mim você sempre foi sinônimo de Embrapa Amazônia Oriental - quase um
sobrenome. Nunca me acostumei com toda essa reviravolta que a vida lhe
pregou, fazendo você migrar para SP e culminando agora com a sua despedida.
Pra mim esse é o último capítulo de uma saga que começou anos atrás desde
que vc saiu de sua terra natal. Não poderia ter dado um final diferente.
Afinal, desde quando pirarucu nada em água paulista? Sem chance...
Desconheço os reais motivos que lhe fizeram querer se aposentar
antecipadamente, mas se isso lhe trouxer a promessa de paz de espírito,
saúde e felicidade, vá em frente! É isso aí, garota! Isso é mais um sinal da
sua coragem que muitos não têm. A maioria prefere reclamar de cabeça baixa e
acompanhando a manada, a tirar os antolhos dos olhos e procurar caminhos
diferentes que lhe tragam a felicidade.
Vc é guerreira, mulher! Sempre foi, sempre será e por irradiar tanto brilho
que você deixará na Embrapa uma legião de "órfãos" da "mãe" Ruth. E apesar
de divergirmos profissionalmente (eu continuo achando que uma matéria no
Jornal Nacional é mais importante do que no Liberal... :-) ) acho você, como
pessoa, irretocável. E por esse motivo que eu também me incluo como "órfã"
da Ruth da Embrapa... A Ruth guerreira e cometa, que por onde passa deixa
uma marca iluminada.
Que Deus lhe reserve muitas alegrias nessa sua nova vida que começa.
Um abração e mantenha contato (afinal, estou no seu orkut)!
Elis



Ruth,
vamos sentir sua falta.Mas, pelo que vejo, os planos e as possibilidades de realizações são imensos e muito mais amplos.Você brilhará, é certo. Revisando, comunicando, e, sim, escrevendo. Afinal, quem pode esquecer um texto lindo, feito por uma mãe escritora, sobre um menino que engoliu um balão?Seja muito, mas muito mesmo, feliz!
Beijos,
Marita