Quem sou eu

Belém/Ribeirão Preto, Brazil
Amazônida jornalista, belemense papa-xibé. Mãe, filha, amiga... Que escreve sobre tudo e todos há décadas. Com lid ou sem lid e que insiste em aprender mais e mais... infinitamente... Até a morte

Aos que me visitam

Sintam-se em casa. Sentem no sofá, no chão ou nessa cadeira aí. Ouçam a música que quiser, comam o que tiver e bebam o que puderem.
Entrem...
Isso aqui está se transformando em um pedaço de mim que divido com cada um de vocês.
Antes de sair me dê um abraço, um afago e me permita um beijo.

Arquivo do blog

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Entendendo o câncer

É preciso estar no olho do furacão para se ter idéia exata do que é um furacão. Nunca pensei que um dia fosse entender tanto de câncer de mama. Um assunto que me interessava à distância como acontece com a maioria das mulheres.
Hoje leio o que posso, converso com pessoas sobre o tema e já tenho boas e presentes “amigas do peito” com quem converso quase diariamente, dividindo angústias, vitórias, medos e colo.
Esses dias recentes foram de novo de muitas consultas. Primeiro a cirurgiã plástica que elogiou minha disciplina, embora algumas vezes se surpreenda com a minha disposição, agilidade em fazer, em sair e resolver tanta coisa. Os seios novos (?) estão quase em forma.
No mastologista-oncologista, que me operou ouvi o que mais queria ouvir de um médico experiente e muito bem conceituado em Belém: “ninguém quer ter um câncer, mas se pudesse escolher teria um como o seu”. Os detalhamentos dos exames do tumor, aliados ao que foi detectado durante a cirurgia, permitem que seja montado o protocolo. Ou seja, todos os caminhos científicos e médicos para combater esse tipo de câncer.
Ele me adiantou que farei a quimio mais branda (a branca) com menores efeitos colaterais. Serão seis sessões com intervalo de 21 dias. Explicou que só farei porque ainda continuoi menstruando normalmente. Tenho uma taxa hormonal que me impede de ser liberada das quimio. Deus sabe o que faz. Espero, contudo, ter pouca indisposição. Continuo a dieta natural, evitando carne vermelha, massas e doces, não comendo frituras, gorduras e sem colocar na boca nenhuma gota de álcool. Quero continuar minhas atividades, quero prosseguir dando aulas, quero me manter ocupada, caminhar e se for liberada por eles, fazer até ginástica, hidro qualquer coisa que me deixe mais disposta ainda. Viver mais e mais intensamente ainda.
Super valorizar o que já descobri de prazer e descobri outros que ainda não me permiti.
Amanhã (quinta-feira) vou ter a primeira consulta com mais um médico que passa a integrar o já amplo grupo de profissionais que desde setembro cuida de mim. É o oncologista que ministrara e acompanhará as quimios e as radios. Ele dará a palavra final em função dos exames e de tudo o que já vivi.
Fico ansiosa, apreensiva, mas querendo que tudo aconteça logo, que eu possa ir vencendo cada etapa e me fortalecendo a cada vitória.
Um dia atrás do outro...