Quem sou eu

Belém/Ribeirão Preto, Brazil
Amazônida jornalista, belemense papa-xibé. Mãe, filha, amiga... Que escreve sobre tudo e todos há décadas. Com lid ou sem lid e que insiste em aprender mais e mais... infinitamente... Até a morte

Aos que me visitam

Sintam-se em casa. Sentem no sofá, no chão ou nessa cadeira aí. Ouçam a música que quiser, comam o que tiver e bebam o que puderem.
Entrem...
Isso aqui está se transformando em um pedaço de mim que divido com cada um de vocês.
Antes de sair me dê um abraço, um afago e me permita um beijo.

Arquivo do blog

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Como administrar o amanhã ?

Há pessoas que não sentem a menor necessidade de se programar, de ter agenda, de controlar o tempo, de organizar-se. Conheço muitas. Acho mesmo que são a maioria. Não se importam com atrasos, com faltas em compromissos ou simplesmente em ignorar o que haviam prometido com tanta ênfase. Agem com naturalidade, não sentem nenhum incômodo em deixar os outros esperando ou cancelar encontros marcando antecipadamente.Sou exatamente o contrário. Embora considere-me extremamente desarrumada consigo ser extremamente (às vezes meio patológica) organizada. Confuso ? não... nem um pouco. As gavetas podem não ser a perfeição em arrumação,posso ter misturados em uma mesma pasta documentos da Embrapa, Faz e Unama, mas minha cabeça não pára. Sei o que tem no freezer, sei o que tenho que entregar amanhã, conheço todos os alunos pelo nome, raramente furo prazos e quase nunca chego atrasada.
Essa característica (nem virtude nem defeito !)tem me incomodado muito. Ela impede-me de me organizar para amanhã. Tem sido assim desde setembro, quando descobri o câncer. Têm me sido dados pequenos prazos pra fazer e acontecer. Cirurgia dia 10 de outubro, depois 7 de novembro, veredicto dia 29 de novembro e os dias se passando, transformando-se em meses e a minha vida seguindo sem nenhuma programação a médio prazo. Longo prazo ? nem pensar !
Sei que tenho até o dia 2, 3 de janeiro para agir naturalmente, para me programar. Mas e depois ? Tenho coordenação e participação em projetos de Comunicação que deveriam iniciar em 2008 e terminar só em 2011, propostas de trabalho para frilas em 2008, a diretoria da Associação Brasileira de Jornalismo Científico, monografia para concluir...
Ahhh... horrível tudo isso.
Vou tentando viver com uma naturalidade que é real. Sei de hoje, um pouquinho de amanhã e só.
O Natal agora é presente, mas há alguns dias era uma icógnita e o carnaval ?