Quem sou eu

Belém/Ribeirão Preto, Brazil
Amazônida jornalista, belemense papa-xibé. Mãe, filha, amiga... Que escreve sobre tudo e todos há décadas. Com lid ou sem lid e que insiste em aprender mais e mais... infinitamente... Até a morte

Aos que me visitam

Sintam-se em casa. Sentem no sofá, no chão ou nessa cadeira aí. Ouçam a música que quiser, comam o que tiver e bebam o que puderem.
Entrem...
Isso aqui está se transformando em um pedaço de mim que divido com cada um de vocês.
Antes de sair me dê um abraço, um afago e me permita um beijo.

Arquivo do blog

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Os cogumelos

Desde que a informação bombástica tirou o meu chão, que ocupo meu tempo principalmente alimentando-me das pessoas que mais eu amo. Os filhos, do jeito peculiar de cada um, têm sido o meu alicerce, com quem tenho saído bastante. Tento não imaginar que estou me abastecendo dessa companhia indo aos shoppings, arraial, pizzarias, shows, manifestações do Círio etc.., mas acho que no fundo estou buscando saciar-me (impossível!) para quando os momentos de reclusão chegarem, não sentir demais.
Outra ocupação é compreender a doença, não ser pega de surpresa. Entre as diversas recomendações de auxílio à cura que tenho recebido quase diariamente dos amigos, parentes, alunos e ex-alunos (que variam de imagens, passando por orações, terços, fitinhas bentas, livros, CDs a receitas milagrosas) uma mereceu minha atenção especial : o tratamento à base de cogumelos indicado pelos colegas de Comunicação da Embrapa de Brasília. Conversei pelo telefone com a pesquisadora Arailde Urben, que há muito pesquisa o assunto e que recomendou-me o cientificamente chamado Agaricus blazei murril. Nove cápsulas por dia e muitos resultados exitosos já catalogados. Pelas informações que me enviou (até uma publicação com artigos de sua autoria eu recebi!) também age nos transtornos hepáticos. O que mais me preocupa agora e que tenho que reagir de imediato para enfrentar a cirurgia no início de novembro.
Estou otimista com o tratamento. Não estou tomando nenhum outro medicamento, procurando ter uma alimentação mais saudável (às vezes é preciso um susto assim pra deixar as picanhas e maniçobas e cerpinhas de lado) e me preprando para o próximo exame de sangue quando saberei como estão os meus TGO, TGP e Gama GT.
Oxalá normalíssimos !!
Torçam daí !